4 de mar de 2015

USP comemora o Dia do Bibliotecário

O SIBiUSP convida para o Encontro Comemorativo do Dia do Bibliotecário 2015, cujo tema é “Semeando na Nuvem – A biblioteca, a inovação e a produção de conhecimento”.
Pretende-se nesse evento, abordar o panorama das bibliotecas no cenário atual da informação, voltado à prestação de serviços e oferecimento de produtos a partir de ações inovadoras, que acompanhem o contexto e expectativa da sociedade, pautados em tecnologia, agilidade e acesso à informação de qualidade em qualquer meio. 

Programa

“Encontro Comemorativo do Dia do Bibliotecário 2015”
Dia 12.03.2015
Horário: das 14h às 17h
Auditório Carolina Bori
Instituto de Psicologia - USP
Av. Prof. Mello Moraes, 1721
Cidade Universitária


13h45 às 14h30
Registro dos participantes e apresentação do Coral Phisycantus

14h30 às 17h  
Mesa Redonda - “Semeando na Nuvem – A biblioteca, a inovação e a produção de conhecimento”

Palestrantes:
Prof. Dr. Murilo Bastos da Cunha - UnB
Prof. Dr. Demi Getschko - NIC.br
Profa. Dra. Kelly Rosa Braghetto - IME USP
Raniere Gaia Costa da Silva - UNICAMP

Mediadora:
Profa. Dra. Regina Melo Silveira – EP USP

E-volution: a nova biblioteca digital da Elsevier

Uma biblioteca inteira na palma da mão para estudar e consultar quando e onde for preciso com os consagrados conteúdos da Elsevier, que fazem a diferença nas instituições de ensino de todo o Brasil. Esse é o e-volution, biblioteca virtual multimídia da editora líder mundial em produtos de informação científica, técnica e médica.
Além de mais de 600 obras conceituadas no mercado acadêmico e profissional, escritas por autores renomados em todo o mundo, o e-volution tem, agora, a mais moderna tecnologia em plataformas digitais. O amplo conteúdo multimídia da ferramenta inclui vídeos, animações, banco de imagens para download, testes com perguntas e respostas e muito mais. Essa novidade é, de fato, um grande benefício para todos os alunos, professores e membros da comunidade acadêmica.
Os usuários têm seu próprio caderno de estudos, com possibilidade de realçar o conteúdo, fazer anotações virtuais e marcações de página, além de compartilhar informações por e-mail e redes sociais. Além disso, o e-volution conta com aplicativo para acesso mobile e download ilimitado de e-books, que permite acesso a qualquer hora e em qualquer lugar.
Benefícios na prática
Além de fortalecer o aprendizado dos alunos, as universidades que utilizam plataformas como o e-volution são melhor avaliadas pelo MEC por democratizar o uso do acervo, provendo atendimento excelente aos estudantes, com grande variedade de títulos, conteúdo atualizado constantemente e total praticidade na consulta ao catálogo. Outra vantagem que as instituições têm ao adotar  o uso de bibliotecas virtuais como essa, que funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, é evitar os deslocamentos, filas de espera e prazos para devolução dos livros.
O novo e-volution
Mobile e redes sociais – a nova versão do e-volution conta com aplicativo para Android e IOS, download ilimitado de e-books com acesso off-line via smartphones e tablets e permite compartilhamento de informações por e-mail e redes sociais;
Estudo fácil – é possível fazer anotações nas páginas, grifar textos com ferramenta e highlights, colocar marcadores adesivos virtuais nas páginas que são mais importantes para o estudo. Além disso, os links são integrados com consulta direta a conteúdo de outros títulos e há integração com sistemas de busca;
Acesso Individual - só o aluno vê o que escreve e marca, portanto cada estudante tem acesso rápido ao seu próprio caderno digital, personalizado com as marcações de estudo que atendem às suas necessidades;

Compreensão rápida - vídeos, animações, bancos de imagens, testes online com perguntas e respostas, casos clínicos e muitos outros recursos ajudam o aluno a compreender mais rápido e fixar melhor o que está estudando;

O maior e melhor acervo - Entre as centenas de livros disponíveis no e-volution, estão as mais recentes edições das obras adotadas e referência de estudantes no Brasil e em todo o mundo como Guyton & Hall Tratado de Fisiologia Básica, Netter Atlas de Anatomia Humana, e obras relevantes de administração, computação, engenharias.

24 de fev de 2015

QUALIS da CAPES: CGU manda arquivar planilhas dos títulos de periódicos

A solicitação era para que a CAPES divulgasse as planilhas com os componentes da avaliação Qualis periódicos de todas as áreas – conforme pode ser visto neste e neste outro post. Cada uma das 24 coordenações de área do órgão é responsável por estabelecer os critérios que definem a nota dos periódicos onde é publicizada a ciência produzida no Brasil. Essa nota tem um papel fundamental para a avaliação acadêmica, pois é a partir dela que se mede a produtividade, se avaliam pesquisadores e programas de pós-graduação e se distribuem verbas e bolsas. Ademais, a nota QUALIS está diretamente relacionada às relações de poder estabelecidas entre aqueles que controlam os canais de comunicação científica e a comunidade científica de modo geral.
Atualmente os critérios para se estabelecer as notas dos periódicos são definidos sem qualquer processo de consulta pública à comunidade acadêmica. Embora os critérios sejam expostos, com grau de detalhamento variável, pelas coordenações de área, eles não podem ser auditados em sua aplicação. A mesma se dá às escuras: não se conhece tais planilhas ou mesmo se elas existem. Isso dá margem a suspeitas sobre a influência de interesses políticos, uma vez que essa avaliação tem fortes implicações na carreira de pesquisadores, no êxito de grupos de pesquisa e programas de pós-graduação, no sucesso comercial de editoras científicas e se relaciona ao acesso a recursos públicos oferecidos à ciência brasileira. A abertura desses documentos – que não estão sujeitos a qualquer situação de sigilo prevista pela Lei de Acesso à Informação (LAI) – é fundamental para que o processo possa vir a luz e ficar disponível ao escrutínio público.
A CGU demorou cerca de 20 meses para decidir, sendo que em maio de 2013, o presidente da CGU tinha determinado que a CAPES disponibilizasse tais dados.
Na resposta final da CGU, afirma-se que:
“A CGU buscou organizar reunião com a participação do cidadão e dos representantes da CAPES de modo a possibilitar compreender o processo de avaliação do sistema Qualis.” (23480.020334/2012-91, despacho de arquivamento).

Cabe observar que em nenhum momento o solicitante foi procurado pela CGU para tal encontro.
O parecer surpreendentemente afirma que se “constatou não existirem documentos além daqueles já entregues ao cidadão” – cabe dizer que a CAPES não entregou NADA do solicitado – e pede que o órgão passe a produzir e divulgar tais documentos:
“Por meio do Relatório de Auditoria no 201407745, a SFC constatou não existirem documentos além daqueles já entregues ao cidadão e recomendou à entidade aprimorar seus procedimentos de transparência no âmbito do Qualis, produzindo e divulgando em seu site documentos que demonstrem de forma detalhada a utilização dos indicadores previstos na metodologia (quantitativos e qualitativos) de modo a deixar claro como a comissão chegou à classificação dos periódicos.”

O relatório da “auditoria” da CGU tampouco foi disponibilizado pelo órgão, embora numa das respostas tivessem indicado que o documento estaria disponível no link http://sistemas.cgu.gov.br/relats/relatorios.php. Em busca no site da CGU, é possível localizar apenas relatório de auditoria de contas no órgão.
As Informações existem ou não existem?
Se as informações sobre como são aplicados os critérios não existem, então todo o sistema QUALIS de avaliação da qualidade da produção científica brasileira seria um gigantesco castelo de cartas? Se confirmado, esse complexo simulacro serviria para escamotear trocas de interesses pessoais e coletivas envolvendo imensos recursos públicos, de modo a torná-los imunes a qualquer auditoria. E se não existem registros públicos, estamos em face de um escândalo de proporções gigantescas.
Caso essas informações existam, a CGU como órgão de controle deixou de cumprir seu papel, mostrando não possuir nem força nem independência para fazer valer a lei.
Arquivamento do pedido
A conclusão do relatório, é pelo arquivamento do pedido:
“Por todo o exposto, opina-se pelo arquivamento do processo em epígrafe, haja vista inexistirem documentos adicionais a ser fornecidos ao cidadão, razão pela qual não merece prosperar a denúncia de descumprimento de decisão apresentada.”
Com o “arquivamento” do pedido, a CGU manda para sua gaveta uma solicitação que atendia não apenas àqueles que defendem uma ciência aberta e transparente, mas ao interesse maior da sociedade brasileira, que é a ética na gestão pública.
Cabe dizer que com mais de dois anos de lei e nenhuma punição por descumprimento da Lei de Acesso à Informação (LAI), a CGU parece se apequenar cada vez mais, mostrando que não é um órgão preparado para a importante função que lhe foi atribuída de zelar pelo cumprimento da LAI junto ao Poder Executivo Federal.

Fonte: Blog do OKBR, em 24/02/2015.

IFLA pede na ONU maior acesso à informação

A presidente eleita da IFLA, Donna Scheeder e Loida Garcia Febo, membro do Conselho Diretivo estiveram em Nova York na semana passada para a sessão mais recente de negociação sobre o quadro de desenvolvimento da ONU pós-2015.  A IFLA está chamando atenção para o aumento do acesso à informação  e está trabalhando para destacar o papel que os intermediários de informação, como bibliotecas, podem desempenhar para ajudar a alcançar o novo conjunto de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, com os quais todos os Estados-Membros da ONU se comprometem a alcançar chegar a partir de setembro de 2015.
As negociações em Nova York na semana passada foi  focada na seção Declaração do novo quadro. Os delegados pediram uma declaração  que fizesse sentido para todos. Ao longo da semana, em discussões com os delegados e grupos da sociedade civil, a IFLA argumentou que o acesso à informação é um princípio comum, bem como um tema transversal em todas as metas e objetivos.
Nossa posição é que a Declaração deve reconhecer claramente que o maior acesso à informação e ao conhecimento, sustentado pela alfabetização universal, é um pilar essencial do desenvolvimento sustentável.

A intervenção da IFLA

Na quinta-feira, em uma reunião entre os Grupos Principais das Nações Unidas e os Estados-Membros, Donna Scheeder introduziu a Declaração de Lyon sobre Acesso à Informação e Desenvolvimento, que já foi assinada por mais de 500 organizações de todos os setores, de Bibliotecas, de desenvolvimento e de TICs. Sua intervenção foi centrada sobre o perigo de pobreza de informação.
Texto integral da intervenção

Obrigado Sr. Presidente por dar a palavra à Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias, ou IFLA, a voz global de Bibliotecas.

"Sou Donna Scheeder, a presidente eleita da IFLA, estou falando em nome de mais de 500 organizações e instituições que assinaram a Declaração Lyon sobre Acesso à Informação e Desenvolvimento. A Declaração de Lyon exorta os Estados-Membros da ONU a reconhecer a importância do aumento do acesso à informação no apoio à agenda de desenvolvimento pós-2015.
Eu queria lembrar aos delegados que para avançar é preciso prestar atenção para um tipo diferente de pobreza que não foi mencionado muito aqui - pobreza de informação.
Informação e conhecimento realmente são a base para fazer progressos no sentido do desenvolvimento sustentável. Sem acesso à informação, as pessoas não dispõe de meios para tomar as decisões cruciais necessárias para melhorar suas vidas.
Caros colegas,
O aumento do acesso à informação é uma questão transversal que vai contribuir para a realização de todos os objetivos - seja na saúde, educação, transparência e responsabilidade: todos vão beneficiar as pessoas a serem capazes de saber mais sobre como alcançá-los.
E nós - bibliotecas - podemos ajudá-los a chegar lá. Existem mais de 320 mil bibliotecas públicas em todo o mundo, e centenas de milhares de bibliotecas escolares e de pesquisa - em todos os seus países. Os bibliotecários são profissionais da informação qualificados que podem ser fortes parceiros no aumento do acesso à informação. E nós podemos ajudar as pessoas a adquirir as competências de literacia da informação necessárias para melhorar suas vidas.
Então, quando se considera como fazemos isso, vamos ter certeza de que usar as instituições que podem ajudar a abrir os conjuntos de dados, recursos de conhecimento e fornecer acesso às TICs que as pessoas precisam para alcançar o desenvolvimento sustentável.
Estamos ansiosos para ser parceiros na revolução de dados e a ajudar a chegar a 2030 em grande forma."

Colegas,
Nesse sentido a IFLA nos solicita insta a assinarmos a Declaração de Lyon, acessem o kit de ferramentas de advocacy e em contato com seus representantes do governo mencione sobre a importância do acesso à informação para o desenvolvimento. Precisamos de sua ajuda para alcançar nossos objetivos!
Vamos colaborar fazendo com que nossas instituições assinem a Declaração de Lyon. Consulte e veja como e veja quais já são as instituições signatárias http://www.lyondeclaration.org/




Nota:

Texto enviado por Sigrid Karin Weiss Dutra, Presidente IFLA/LAC.

21 de fev de 2015

Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação

Caro (a) Colega,
Estamos preparando a 26 a. edição do "Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação - Biblioteconomia, Ciência e Profissão",  que após  40 anos volta a cidade de São Paulo.
É uma excelente oportunidade para se atualizar e conhecer programas e projetos desenvolvidos no Brasil e exterior. Além disso, você estará em contato com os bibliotecários brasileiros e demais profissionais que atuam na área de Biblioteconomia, Ciência de Informação e correlatas.
Aproveite para compartilhar sua experiência. O prazo para apresentação de trabalhos é  até dia 31/03 p.f.

Maiores informações acessem: http://www.febab.org.br/


USP: biblioteca contamina por DDT ficará fechada

Fonte: UOL. Data: 20/02/2015.
Autoria: Marcelle Souza.
URL: http://educacao.uol.com.br/noticias/2015/02/20/com-livros-contaminados-por-ddt-funcionarios-fecham-biblioteca-na-usp.htm
Os funcionários da Biblioteca Florestan Fernandes, da FFLCH-USP (Faculdade de Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP), começam na segunda-feira (23) uma paralisação em protesto contra a manutenção no local de 9.200 livros que estão contaminados com produtos tóxicos. A direção afirma que os volumes do acervo têm valor bibliográfico "inquestionável".
Segundo laudo do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), livros do acervo doado à FFLCH estão contaminados com substâncias tóxicas, entre elas o DDT --um inseticida proibido em todo o país desde 2009 por fazer mal à saúde-- e seus derivados.
"Eu tive várias manchas pelo corpo, que coçavam muito. Também tive muitas dores no corpo, os médicos não sabiam o que era, e fiz vários exames para detectar câncer, que é uma das coisas que esses produtos fazem com o corpo do ser humano", diz uma funcionária que não quis se identificar.
O Sintusp (sindicato dos funcionários da USP) diz que os primeiros sintomas começaram a ser relatados em março do ano passado, entre eles dores de cabeça, no corpo, náusea, sangramento do nariz, dor de garganta, inchaço dos olhos, vermelhidão e coceira no corpo.
Os funcionários dizem que imediatamente avisaram a direção da biblioteca e da FFLCH dos sintomas que teriam sido causados pelo pó branco (DDT) depois que os livros foram doados à unidade. "A direção sabe desse problema há um ano. Primeiro foram os alunos, monitores, que relataram problemas de saúde, depois foram os funcionários. Nada foi feito. Na minha seção, todos ficaram doentes na mesma época, com sintomas parecidos, como dor de cabeça, vômito e alergia. Não é coincidência", diz uma funcionária.
Ela afirma que os livros doados estão no segundo piso da biblioteca, separados apenas por um tapume do resto do acervo.
"Isso gera grande insegurança, pois não há como garantir que essa substância, um pó branco, não tem potencial dispersivo e que não esteja sendo espalhado por ventiladores e ar-condicionado, contaminando toda a biblioteca", afirma a nota divulgada pelo sindicato na quinta (19).
"A paralisação é pelo envio desses livros para um local seguro, pela preocupação também com os milhares de estudantes que voltam à faculdade nessa semana [as aulas na USP começam no dia 23], para que não se deixe chegar mais uma vez a uma situação dramática como aconteceu em outros casos", afirma Bruno Rocha, diretor do Sintusp, em referência à contaminação da USP Leste.

Contaminação

Em nota, a direção da FFLCH diz que os livros foram higienizados em 2013 e em abril de 2014 foi identificado um pó branco em cinco livros do acervo. Assim que tomou ciência, diz no texto, providenciou avaliações de saúde dos funcionários que apresentaram sintomas.
"Não temos até o momento como avaliar a extensão desses agentes químicos em toda a coleção, razão pela qual o termo, corrente nos documentos sindicais, de 'contaminação do acervo' não pode ainda ser cientificamente confirmado", diz a direção em nota.
O texto ainda informa que nenhum especialista "recomendou retirada da coleção do espaço em que se encontra ou apontou para o risco de contaminação da biblioteca a partir das atuais condições de acomodação".
A direção afirma que não dispõe de outro local para transferir o acervo, o que é pedido pelos funcionários, e que já foram aprovados recursos para que a coleção seja higienizada por uma empresa terceirizada. Não há data, porém, para que o serviço seja realizado.

A biblioteca ficará fechada, segundo os funcionários, por tempo indeterminado a partir de segunda-feira (23).

17 de fev de 2015

Alemanha devolve livros roubados de bibliotecas italianas

Fonte. Exame. Data: 13/02/2015.
URL: http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/alemanha-devolve-livros-roubados-de-bibliotecas-italianas
MUNIQUE - Autoridades da Alemanha devolveram nesta sexta-feira 500 livros históricos, incluindo obras originais dos cientistas renascentistas Galileu Galilei e Nicolau Copérnico, roubados de bibliotecas italianas três anos atrás, a promotores de Nápoles.
A maioria dos livros, que valem cerca de 2,5 milhões de euros, foram tirados da biblioteca napolitana de Girolamini, segundo os promotores.
As autoridades alemãs os recuperaram em uma casa de leilões de Munique a pedido dos italianos.
O ex-diretor da biblioteca Massimo De Caro foi condenado pelo roubo dos livros e cumpriu pena na prisão antes de ser posto em prisão domiciliar.
“Como diretor, seu papel era fazer de tudo para proteger e preservar os livros. Entretanto, ele inverteu sua função. Tirando vantagem de seu cargo, ele conseguiu retirar os livros”, disse o promotor Vincenzo Piscitelli, que foi a Munique buscar as obras.
“Ele desativou os alarmes e realizou suas atividades durante a noite ou nos feriados, quando os funcionários da biblioteca não estavam lá. Estava sozinho, tinha as chaves, todos sabiam que ele era o diretor. Por isso, conseguiu trabalhar com liberdade total”, acrescentou.

Os promotores ainda estão tentando descobrir quantos livros desapareceram ao todo da biblioteca, uma das mais antigas e ricas da Itália.

Vereador de São Roque (SP) fala sobre o abandono da biblioteca

Fonte: Guia São Roque. Data: 12/02/2015.
Segundo Guto Issa, (...) Já quanto a Biblioteca Municipal, Guto Issa afirma que o Poder Executivo tem que tomar providências emergências. “No prédio público há uma série de melhorias que precisam ser realizadas, como infiltração, problemas no telhado, entre outros. Nos últimos dias, com as chuvas torrenciais, a Biblioteca alagou e podemos perder importantes obras e isso não pode acontecer”, ressalta.

Guto Issa explica que enviou um pedido ao Executivo para que realize os serviços de reforma nos banheiros. “Além dos reparos necessários no telhado e nos sanitários, também estou pedindo a realização de serviços de catalogação dos livros raros”, finaliza. 

12 de fev de 2015

Sorocaba: carnaval na biblioteca

A Biblioteca Municipal de Sorocaba (SP) oferece a partir desta quarta-feira (11) oficinas de máscaras para crianças de 5 a 14 anos. A ação tem como objetivo divertir e ensinar a produzir fantasias para o carnaval. De acordo com a Secretaria da Cultura, não é necessário realizar inscrição. A programação vai até sexta-feira (13).
Na quarta-feira, os monitores iniciam a produção de máscaras. Já na quinta-feira (12), no período da tarde, é a vez das crianças entre 7 e 14 anos participarem de gincanas, dança da cadeiras e etc. No último dia, a diversão é garantida  para pais e filhos.
As crianças poderão soltar a criatividade e irem fantasiadas para o "bailinho" de carnaval.

A Biblioteca Infantil fica no Centro de Sorocaba (SP),  Rua da Penha, 643. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3231-5723.


Enciclopédia de Arte e Cultura Brasileira

Na Enciclopédia de Arte e Cultura Brasileira você pode pesquisar e navegar por conteúdos de artes visuais, dança, música, cinema, teatro e literatura. São mais de 5.600 verbetes, divididos entre biografias, comentários críticos e análises históricas de pessoas, grupos, instituições, eventos e obras, além de definições sobre termos e conceitos.
A obra está em nova versão desde dezembro de 2014, reunindo diversas áreas de expressão. São 22 novos verbetes, textos novos ou reescritos, das áreas de literatura, arte e tecnologia e cinema.

Comunidade reúne 38 mil fãs de livros eróticos

Fonte: Folha de S. Paulo. Data: 11/02/2015.
Autoria: Gabriela Sá Pessoa.
A empresária Simone Félix, 29, tem na ponta da língua o calendário de lançamentos de romances eróticos no Brasil. Publicado pela Intrínseca em 2012, a trilogia 50 tons de cinza vendeu 5,5 milhões de exemplares no país e é uma espécie de fetiche para leitoras que, como Simone, transformaram-se em consumidoras vorazes do gênero.
"Chega a ser assustador, elas leem muito", diz Quézia Cleto, editora da Paralela, selo da Companhia das Letras que tem eróticos no catálogo. Atendendo a pedidos de fãs, a casa comprou os direitos de tradução da série Sinners on tour, de Olivia Cunning. "Dentro da ficção, é o gênero que mais vende e, ao mesmo tempo, sofre um certo preconceito por não ser tão resenhado", comenta Cleto.

A divulgação do que há de novo na literatura erótica depende do boca a boca entre leitoras, que se organizam em comunidades online. Em fóruns como o grupo do Facebook "Romances e Livros Hot", com quase 38 mil membros, elas trocam impressões sobre leituras, tiram dúvidas afetivas e combinam encontros para falar de erotismo e literatura. Homem não entra: o papo é só entre garotas, que em geral têm entre 20 e 30 anos.

Os assuntos preferidos na biblioteca circulante do DF

Fonte: UOL. Data: 10/02/2015.
Autoria: Jéssica Nascimento.
No começo, o cobrador Antônio da Conceição, 43, oferecia livros aos passageiros que tomavam a linha circular de Sobradinho II- DF dentro de uma caixa de papelão. Isso foi em 2007. Aquela caixa que começou com a doação de um passageiro soma atualmente 12 mil títulos, que circulam em cinco coletivos e têm espaço nos guichês da empresa Piracicabana na rodoviária no Plano Piloto, em Brasília. É chegar e pegar: não há controle ou cadastro.

O maranhense conta que os usuários costumam devolver os livros e fazer novas doações. Atualmente, o programa "Cultura no Ônibus" tem painéis para expor os títulos, está institucionalizado na empresa do Distrito Federal, e Conceição se tornou gerente cultural da iniciativa. Até o final de 2016, a intenção é que toda carro da frota conte com um acervo circulante. Contos, crônicas, romances e autoajuda são os preferidos das pessoas, segundo a equipe do projeto. "Nas estantes, temos gibis e revistas que chamam a atenção das crianças", conta Conceição. "Diversos pais vieram me agradecer por incentivar o hábito da leitura nos filhos."

11 de fev de 2015

Raridades na Biblioteca Nacional

O que membros da corte brasileira comeram durante o último baile do Império na Ilha Fiscal? Como era a planta de um navio negreiro que transportava escravos ou o primeiro atlas impresso? Essas são algumas raridades guardadas na Divisão de Obras Raras da Fundação Biblioteca Nacional (FBN). Muitas delas também estão disponíveis online na Biblioteca Nacional Digital.
A Divisão foi criada em meados do século 20, por decreto presidencial, a partir de uma seleção do acervo geral da FBN. Embora não haja número exato de obras, calcula-se que são tantos títulos nessa seção que eles ocupariam uma estante linear de 2,1 km. O exemplar mais antigo foi doado por uma família no século 19. Trata-se de um manuscrito do século 11 com os quatro Evangelhos (Matheus, Lucas, João e Marcos).


Detalhes da Biblioteca Nacional Digital no URL: http://bndigital.bn.br/

Fundação Getúlio Vargas moderniza suas bibliotecas

A Fundação Getulio Vargas está investindo na modernização do seu Sistema de Bibliotecas, que integra os acervos físicos – nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília – e a nova Biblioteca Digital. Ao longo de quase dois anos, um conjunto de obras e bases de dados foram reunidas para compor um amplo acervo digital, boa parte dele com acesso aberto e gratuito ao público. Para facilitar ainda mais a busca, está no ar a ferramenta Acervo Acadêmico, que permite ao usuário encontrar todas as referências sobre o assunto pesquisado, não só na biblioteca digital, mas também nas físicas. O perfil da Biblioteca Digital é voltado para as áreas de ensino e pesquisa da FGV. O acervo também inclui outras fontes de pesquisa, que são destinadas apenas à comunidade da Fundação, como mais de 10 mil e-books de várias editoras, em diversas línguas, e periódicos científicos do Portal da Capes.

9 de fev de 2015

Aulas de ciências em vídeo

Com base na Europa Oriental, o VideoLectures.Net fornece acesso gratuito a aulas em vídeo de alta qualidade apresentados por ilustres estudiosos de diversas áreas da ciência.

Detalhes no URL: http://videolectures.net/

Novo número: Informação e Tecnologia

A revista “Informação & Tecnologia” (Itec) acaba de publicar seu último número em http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/itec.
Sumário:
Editorial
Editorial v. 1, n. 2 (2014). Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos, Guilherme Ataíde Dias.
Entrevista
O Ser no Mundo Digitalizado ou Digital (5-12). Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos, Rafael Capurro.
Artigos de pesquisa
·       Um Método para a Utilização de Ontologias na Indexação Automática (13-33). Maria Elisa Valentim Pickler Nicolino,  Edberto Ferneda.
·       O Pensamento, a Análise e a Reflexão em Tempos de Excesso e Obsolescência da Informação (34-41). Jailma Simone Gonçalves Leite, Júlio Afonso Sá de Pinho Neto.
·       Encontrabilidade da Informação: Atributos e Recomendações para Ambientes Informacionais Digitais (42-58). Fernando Luiz Vechiato, Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti.
·       Indexação Automática no Âmbito da Ciência da Informação no Brasil (59-76). Remi Lapa, Renato Correa.
·       Avaliação do Acesso e Visualização da Informação em Repositórios Institucionais (77-95). Sandra de Albuquerque Siebra, Júccia Nathielle do Nascimento Oliveira, Críssia de Santana Marcelino.
·       Tecnologia e Sistemas de Informação na Ciência da Informação: Percurso da Temática Tecnológica no ARIST (96-111). Ronaldo Ferreira Araújo, Marlene Oliveira Teixeira de Melo.


URL deste número: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/itec/issue/view/1486

Recife: duas bibliotecas públicas abandonadas

Fonte: Bibliotecas do Brasil.
Quando uma biblioteca chega a esse estado de descuido, omissão e depredação dificilmente é recuperada e até que se elabore um novo projeto e seja colocado em prática, são anos e anos que a população fica órfã de um espaço essencial para o desenvolvimento humano. Em Curitiba duas bibliotecas públicas estão nessa situação de abandono - a Biblioteca Casa Kozák no bairro Uberaba e a Casa da Leitura Franco Giglio no bairro Campina do Siqueira - fechadas aos leitores desde 2011, sem previsão de reforma ou reabertura. São quase 4 anos que os bairros e sua comunidade de leitores estão sem biblioteca.
No Recife são duas as bibliotecas públicas que estão em um estado de completo abandono, a Biblioteca Popular de Casa Amarela Jornalista Alcides Lopes e a Biblioteca Popular de Afogados.
A Biblioteca Popular de Casa Amarela como é possível conferir na reportagem do G1 os livros estão amontoados e em péssimo estado de conservação, espalhados por todas as salas da biblioteca que apresenta infiltrações, tem um buraco no teto, lâmpadas queimadas, o basculante e várias das janelas estão quebrados e segundo a reportagem há anos a biblioteca não tem sequer um bibliotecário. A sala de informática virou um depósito horrivelmente bagunçado e nenhum computador está operando ou disponível para a utilização dos leitores e usuários da biblioteca. No banheiro dos funcionários não há água, e quem precisa utilizá-los precisa recorrer a baldes com água para dar a descarga, uma situação humilhante, sem as menores condições de trabalho. O banheiro dos usuários está bloqueado por um guarda-volumes e o teto desabou completamente.
É importante notar que são todos problemas que deveriam ter sido resolvidos quando surgiram, pois ainda não eram difíceis de resolver. É a soma geral de todos eles que o condena. A omissão dos órgãos que deveriam ser os mais interessados em manter as bibliotecas é evidente. A biblioteca precisaria urgentemente de um mutirão solidário organizado pela comunidade só para começar a se reestruturar e não ser pedida completamente.
Já na entrada da Biblioteca Popular de Afogados o esgoto corre à céu aberto, no interior do local os ventiladores não funcionam, as lâmpadas estão queimadas, nenhum dos 9 computadores da sala de informática funcionam por causa de um curto-circuito que ocorreu há mais de um ano. A biblioteca sofre com infestação de cupins, o banheiro está sem água e tem infiltrações pelo teto. A biblioteca de Afogados não tem bibliotecário e com o acúmulo de livros que impossibilita a localização deles, tanto estudantes, quanto leitores e funcionários se sentem desestimulados em entrar na biblioteca.

Maiores detalhes no vídeo na página do Portal G1.

6 de fev de 2015

Biblioteca São Paulo completa cinco anos

Para comemorar seus cinco anos de funcionamento, a BSP organizou diversas atividades não só dentro do espaço da biblioteca, mas em outros cantos da cidade, como o metrô e parques da cidade.
PROGRAMAÇÃO ESPECIAL ANIVERSÁRIO
7 de fevereiro – sábado, das 10 às 15 horas, BSP nos Parques
Parque Ibirapuera
Lili Flor e Paulo Pixu
Com trabalho desenvolvido através da junção da música, da literatura e da contação de histórias, a dupla apresentará aos frequentadores do Parque Ibirapuera algumas das mais incríveis histórias das mais variadas tradições do mundo.
Parque do Carmo
Cia. Duo Encantado
A Cia. Duo Encantado, por meio da pesquisa da tradição oral das cantigas populares, desenvolve cantigas e brincadeiras. No sábado, os frequentadores do Parque do Carmo poderão conhecer um pouco mais dessas histórias e participar das aventuras apresentadas pelo grupo.
8 de fevereiro – domingo
Biblioteca de São Paulo, das 10h30 às 16 horas
Intervenção de palhaços
Ao longo do dia, palhaços farão a alegria do público presente. Com intervenções lúdicas e divertidas, os personagens percorrerão todo o espaço da biblioteca, interagindo com o público, criando brincadeiras e estimulando o hábito da leitura, mostrando aos frequentadores como um bom livro pode ser uma ótima opção de divertimento.
Domingo no Parque – BSP até você
11h30 às 12h15 - Bebelê, com equipe BSP.
12h30 às 16 horas – Espaço de leitura e sessões de contação de histórias com a Cia. Mapinguary.
Local: Parque da Juventude.
das 16 às 17 horas
Espetáculo – Parlapatões Clássicos do Circo
Números emblemáticos dos mais de 20 anos de carreira dos Parlapatões estão reunidos neste espetáculo de variedades. Entre eles, a coreografia de balé clássico realizada por lutadores de boxe, o número das Águas Dançantes, a disputa de pênaltis no futebol dos palhaços e ainda o Rei do Gatilho, no qual um tenta acertar uma maçã que está na testa de outro.
Com o Grupo Parlapatões. Local: piso térreo da BSP.
Dia 21 – sábado, das 11 às 13 horas
Segundas intenções
Bate-papo com Mauricio de Sousa.
Mediação: Adriana Couto.
Vagas limitadas. Inscrições por e-mail (agenda@bsp.org.br) ou no balcão de atendimento da biblioteca (de terça a sexta-feira, das 9h30 às 17h30), até o dia 20.
Certificado de atividade complementar para estudantes universitários.
Local: auditório.
Premiação Leitor do Ano

A BSP entrega o prêmio Leitor do Ano, quando alguns dos frequentadores mais assíduos de 2014 serão homenageados, com entrega de certificados e medalhas.

5 de fev de 2015

Limeira: novo prédio da biblioteca em abril

Fonte: Gazeta de Limeira. Data: 5/02/2015.
URL: www.gazetainfo.com.br/ns/noticia.php?titulo=Biblioteca-come-a-a-funcionar-em-novo-pr-dio-em-abril-?r=noticias&id=32020
Os leitores limeirenses que utilizam a Biblioteca Municipal Professor João de Souza Ferraz e Professora Cecília Quadros contarão com um espaço mais amplo e acessível a partir de abril. A mudança para o novo prédio, que já abriga o Centro de Ciências, iniciou ontem. Neste período, o atendimento ao público estará suspenso. As devoluções de empréstimo poderão ser feitas até o dia 28, e estarão isentas de multa.


Os cerca de 46 mil itens, entre livros, revistas, jornais, jogos, e multimídia, passarão por um processo que obedecerá rigorosamente o sistema de classificação da biblioteca. Os exemplares serão colocados em caixas, devidamente identificados, e organizados nas novas estantes. Este trabalho exige conhecimento do acervo e será executado exclusivamente pelos técnicos e funcionários das bibliotecas.

Evento: Ciência da Informação

Seminário em Ciência da Informação (SECIN) é realizado pelo Departamento de Ciência da Informação e pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), bienalmente. Esta é a sexta edição e a cada uma o evento amplia-se tanto em número de participantes quanto em número de trabalhos submetidos e apresentados. O seminário consiste de um foro privilegiado para apresentação e para discussão da pesquisa científica em Ciência da Informação, congregando pesquisadores, profissionais e estudantes, visando promover a discussão de temáticas de interesse da área.
O tema do SECIN 2015 – FENÔMENOS EMERGENTES NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO visa oferecer oportunidade para refletir as mudanças que impactam na interação humana com a informação, bem como suas implicações para o futuro da Ciência da Informação.


O evento ocorrerá nos dias 5, 6 e 7 de agosto de 2015.
Detalhes no URL:
http://www.uel.br/eventos/cinf/index.php/SECIN2015/VISECIN

Evento: CBBD em julho de 2015

O XXVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação será realizado em São Paulo, no período de 21 a 24 de julho de 2015 no novo Centro de Convenções Rebouças. Acompanhe as informações do CBBD 2015 pelo site do evento:

www.febab.org.br


4 de fev de 2015

Senado e Câmara poderão unificar as bibliotecas

Fonte: Senado Federal. Data: 3/02/2015.
URL: www.senado.leg.br/noticias/Radio/programaConteudoPadrao.asp?COD_TIPO_PROGRAMA=&COD_AUDIO=631907
TÉC: Nem só de reformas tributária e política deve viver o Congresso Nacional nesta legislatura. Algumas medidas administrativas também poderão ganhar destaque. Uma delas é a unificação das bibliotecas do Senado e da Câmara dos Deputados. O presidente do Senado, Renan Calheiros, senador do PMDB de Alagoas, apresentou essa ideia no discurso de abertura dos trabalhos legislativos.
(RENAN) É também nossa intenção trabalhar uma agenda integrada do Congresso Nacional, da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, a fim de otimizar resultados e conquistas. Uma das metas com esse propósito será projetar – e me permitam pela primeira vez colocar isto aqui – a biblioteca do Congresso Nacional nos moldes da que existe nos Estados Unidos, para integrar os acervos das duas Casas.
(REPÓRTER) A biblioteca do Congresso Nacional dos Estados Unidos é considerada a maior do mundo, com mais de 158 milhões de itens, entre livros, fotos, manuscritos, partituras, mapas, áudios e vídeos. Para abrigar esse acervo, ocupa 3 prédios e possui mais de 3 mil funcionários. A Biblioteca Acadêmico Luiz Viana Filho, do Senado, e a Biblioteca Pedro Aleixo, do Senado, são especializadas em Ciências Sociais com ênfase em Direito, Ciência Política, Economia e Administração Pública. As duas somam mais de 400 mil livros e guardam pelo menos 12 mil obras raras. As bibliotecas do Senado e da Câmara são abertas ao público e muito procuradas por estudantes e candidatos a vagas de concurso público em Brasília.


Autoria: Bruno Lourenço.


Novo número: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação



RDBCI acaba de publicar seu último número v. 13, n. 1 (2015): jan./abr., em http://www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php/rbci.
Sumário
Artigos
Políticas públicas de informação no contexto da inclusão e gestão da informação: uma análise sobre as políticas públicas da Secretaria Municipal de Educação de Juazeiro do Norte - CE (6-41). Naira Michelle Alves Pereira, Jonathas Luiz Carvalho Silva.
Empréstimo de livros eletrônicos, redes sociais e a proteção de dados dos usuários (42-60). Liliana Giusti Serra.
Periódicos científicos interativos em Ciência da Informação e Biblioteconomia: uma utopia possível (61-80). Elisa Cristina Delfini Correa, Divino Inacio Ribeiro Junior, Jordan Pauleski Juliani.
Sistema de registro de termos: proposta de contribuição à pesquisa terminológica temática (81-102). José Carlos Mardegan, Brigida Maria Nogueira Cervantes.
Avaliação do tesauro do Tribunal de Contas do Distrito Federal a partir dos usuários (103-119-. Rita de Cássia do Vale Caribé, Evelaine Santos de Oliveira.
Estudo de usuários e modelos de busca da informação (120-137). Francisco Carlos Paletta, Bárbara Pelissaro.
Trajetória histórica das bibliotecas e o desenvolvimento dos serviços bibliotecários: da guarda informacional ao acesso (138-155). Jorge Santa Anna.
O pensamento de baumaniano e os paradigmas de mediação da informação. (156-169). Mário Gouveia Junior.
Revisitando a preservação digital na perspectiva da ciência da informação: aproximações conceituais (170-191). Danilo Formenton, Luciana de Souza Gracioso, Fabiano Ferreira de Castro.
O desenvolvimento da Competência Informacional nas crianças a partir da literatura infantil (192-206). Djuli Machado De Lucca, Clarice Fortkamp Caldin, João Primo Ramirez Righi.
Proposta de instrumento para avaliação da gestão editorial das revista científicas brasileiras em educação física e ciências do esporte (207-224. Ivone Job, Silvana Vilodre Goellner.

Evento: Acesso Aberto



6ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto realiza-se de 4 a 7 de outubro de 2015, na Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.
Esta conferência tem como objetivo promover a partilha, discussão, produção e divulgação de conhecimentos, práticas e pesquisa sobre o acesso aberto em todas as suas dimensões e perspectivas, servindo de catalisador à disseminação de políticas, pesquisa e desenvolvimento na área.
A conferência pretende reunir as comunidades portuguesa e brasileira, que desenvolvem atividades de pesquisa, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento, através de repositórios e de revistas de acesso aberto, em instituições de pesquisa e de ensino superior.
Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:
- Repositórios de publicações científicas;
- Revistas científicas de acesso aberto;
- Repositórios de dados científicos;
- Políticas e mandatos de acesso aberto;
- Interoperabilidade entre os repositórios e outros sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica;
- Sistemas de gestão da Ciência e Tecnologia (CRIS);
- Preservação digital;
- Acesso aberto, bibliometria e métricas alternativas.
Para maiores informações: http://www.acessolivre.pt/c/index.php/confoa2015/c