27 de jan de 2011

Inglaterra: Governo quer fechar bibliotecas públicas

Fonte: The Independent. Data: 25/01/2011.
Autores: Nina Lakhani e Kunal Dutta.
A crise econômica que varre a Europa desde 2008 afeta também a cultura. O governo inglês estuda uma maneira de não mais subsidiar bibliotecas públicas e isso tem causado protestos e comoção em todo país.
A população inglesa escolheu o dia 5/2/2011, para protestar contra o fechamento das bibliotecas públicas.
Desde que a maldita crise se abateu sobre o mundo, todas as semanas vemos na TV protestos de trabalhadores e população contra os cortes nos gastos do governo, que afetam aposentados, funcionários públicos, estudantes e tudo mais que puder ser economizado para manter políticos e seus privilégios, em detrimento do contribuinte, por exemplo. Então, um país de tradição cultural secular anuncia que fechará bibliotecas. Isso é uma calamidade!
Bibliotecas públicas da Grã-Bretanha, durante gerações foram uma fonte de diversão e educação para milhões de crianças e adultos. Hoje são o foco de lutas políticas e ações judiciais. Os usuários se organizam para evitar o fechamento em massa.
São mais de 400 bibliotecas em toda Grã-Bretanha e os gastos, segundo os governantes são da ordem de £6,5 bilhões previstos para os próximos dois anos e este número poderá dobrar se metade dos conselhos administradores regionais que cuidam das bibliotecas enviarem seus projetos de solicitação de verba para ajudar as bibliotecas, segundo a reportagem.

3 comentários:

Anônimo disse...

É realmente lamentável que isso esteja ocorrendo, será que existe alguma coisa que nós bibliotecários brasileiros possamos fazer para ajudar nossos colegas ingleses?
Talvez uma moção de apoio.

Célia

socorro disse...

Murilo,
Poderemos apoiar a idéia da nossa colega Célia, imagine.... um país "desenvolvido" pensanod desta forma, que absurdo!!!!
Socorro - UNEB - BA

Murilo Cunha disse...

Celia & Socorro:
A crise econômica está feia nos países europeus. Portugal, por exemplo, está reduzindo os investimentos nas bibliotecas públicas -- um sistema modelar que fez uma verdadeira revolução cultural. Esses exemplos podem servir de aviso para nós. Precisamos de fortalecer as nossas associações profissionais para que elas possam defender a existência de projetos de leitura e de bibliotecas mantidos pelo Estado.