6 de mai de 2014

Joinville ganhará biblioteca com 3.000 livros na língua alemã

Casa da Memória receberá acervo do economista Raulino Rosskamp e de seus amigos

Autoria: Ana Paula Keller.
Fonte: Notícias do Dia. Data: 1/05/2014.
URL: ndonline.com.br/joinville/noticias/163093-joinville-ganhara-biblioteca-alema-com-3-000-exemplares-na-lingua-de-goethe.html?utm_source=Portal-RICMAIS&utm_medium=chamada&utm_campaign=Parceria-RICMAIS
Agora é certo. O município terá uma biblioteca alemã com aproximadamente 3.000 livros. A FCJ (Fundação Cultural de Joinville) confirmou que o acervo do economista e advogado Raulino Rosskamp, 74 anos, e de seus amigos vai ser transferido em breve para a Casa da Memória, onde há outros mil exemplares guardados no sótão.
 “Gostaria que permanecesse em Joinville”, diz Rosskamp, feliz por ter seu desejo atendido. Segundo ele, a proposta é que todo o acervo fique à disposição da comunidade.
Autores como Johann Wolfgang von Goethe, Friedrich Schiller, Hans Dominik, E. G. Stahl estarão na biblioteca alemã de Joinville, que também abrigará algumas obras do russo Fiódor Dostoiévski. O acerto também conta com mapas, revistas e dicionários.
Há também obras de membros da SCAJ (Sociedade Cultural Alemã), entre eles Wally Schossland; Anneliese Martha Grosse; Eva Maria e Egon Beckmann; Úrsula e Lothar Eckhoff; Ingrid Zimmermann; Anneliese Ilse Mokross; e Carina Keller. “Só estamos resolvendo uma questão do funcionário do local [Casa da Memória], o que deve levar alguns dias”, informou Guilherme Gassenferth, gerente de difusão cultural da FCJ.
A solução agradou a SCAJ. “Desde a fundação da sociedade, existe o projeto de criação da biblioteca”, comentou Carlos Adauto Virmond Vieira, presidente da sociedade – criada em 1999 para preservar e difundir a cultura germânica do município.

De acordo o cônsul honorário da Alemanha em Joinville, Rodrigo Bornholdt, a década 70 teve redução das pessoas que falavam o idioma na cidade, porém, a procura agora está aumentando. O acervo será usufruído principalmente por alunos e profissionais das duas escolas municipais que lecionam a língua – Hans Müller e Carlos Heins Funk.

Nenhum comentário: