24 de fev de 2015

IFLA pede na ONU maior acesso à informação

A presidente eleita da IFLA, Donna Scheeder e Loida Garcia Febo, membro do Conselho Diretivo estiveram em Nova York na semana passada para a sessão mais recente de negociação sobre o quadro de desenvolvimento da ONU pós-2015.  A IFLA está chamando atenção para o aumento do acesso à informação  e está trabalhando para destacar o papel que os intermediários de informação, como bibliotecas, podem desempenhar para ajudar a alcançar o novo conjunto de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, com os quais todos os Estados-Membros da ONU se comprometem a alcançar chegar a partir de setembro de 2015.
As negociações em Nova York na semana passada foi  focada na seção Declaração do novo quadro. Os delegados pediram uma declaração  que fizesse sentido para todos. Ao longo da semana, em discussões com os delegados e grupos da sociedade civil, a IFLA argumentou que o acesso à informação é um princípio comum, bem como um tema transversal em todas as metas e objetivos.
Nossa posição é que a Declaração deve reconhecer claramente que o maior acesso à informação e ao conhecimento, sustentado pela alfabetização universal, é um pilar essencial do desenvolvimento sustentável.

A intervenção da IFLA

Na quinta-feira, em uma reunião entre os Grupos Principais das Nações Unidas e os Estados-Membros, Donna Scheeder introduziu a Declaração de Lyon sobre Acesso à Informação e Desenvolvimento, que já foi assinada por mais de 500 organizações de todos os setores, de Bibliotecas, de desenvolvimento e de TICs. Sua intervenção foi centrada sobre o perigo de pobreza de informação.
Texto integral da intervenção

Obrigado Sr. Presidente por dar a palavra à Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias, ou IFLA, a voz global de Bibliotecas.

"Sou Donna Scheeder, a presidente eleita da IFLA, estou falando em nome de mais de 500 organizações e instituições que assinaram a Declaração Lyon sobre Acesso à Informação e Desenvolvimento. A Declaração de Lyon exorta os Estados-Membros da ONU a reconhecer a importância do aumento do acesso à informação no apoio à agenda de desenvolvimento pós-2015.
Eu queria lembrar aos delegados que para avançar é preciso prestar atenção para um tipo diferente de pobreza que não foi mencionado muito aqui - pobreza de informação.
Informação e conhecimento realmente são a base para fazer progressos no sentido do desenvolvimento sustentável. Sem acesso à informação, as pessoas não dispõe de meios para tomar as decisões cruciais necessárias para melhorar suas vidas.
Caros colegas,
O aumento do acesso à informação é uma questão transversal que vai contribuir para a realização de todos os objetivos - seja na saúde, educação, transparência e responsabilidade: todos vão beneficiar as pessoas a serem capazes de saber mais sobre como alcançá-los.
E nós - bibliotecas - podemos ajudá-los a chegar lá. Existem mais de 320 mil bibliotecas públicas em todo o mundo, e centenas de milhares de bibliotecas escolares e de pesquisa - em todos os seus países. Os bibliotecários são profissionais da informação qualificados que podem ser fortes parceiros no aumento do acesso à informação. E nós podemos ajudar as pessoas a adquirir as competências de literacia da informação necessárias para melhorar suas vidas.
Então, quando se considera como fazemos isso, vamos ter certeza de que usar as instituições que podem ajudar a abrir os conjuntos de dados, recursos de conhecimento e fornecer acesso às TICs que as pessoas precisam para alcançar o desenvolvimento sustentável.
Estamos ansiosos para ser parceiros na revolução de dados e a ajudar a chegar a 2030 em grande forma."

Colegas,
Nesse sentido a IFLA nos solicita insta a assinarmos a Declaração de Lyon, acessem o kit de ferramentas de advocacy e em contato com seus representantes do governo mencione sobre a importância do acesso à informação para o desenvolvimento. Precisamos de sua ajuda para alcançar nossos objetivos!
Vamos colaborar fazendo com que nossas instituições assinem a Declaração de Lyon. Consulte e veja como e veja quais já são as instituições signatárias http://www.lyondeclaration.org/




Nota:

Texto enviado por Sigrid Karin Weiss Dutra, Presidente IFLA/LAC.

Nenhum comentário: