8 de mar de 2016

Pernambuco: apenas 37% das escolas tem biblioteca

Fonte: Diário de Pernambuco. Data: 24/02/2016.
URL: www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2016/02/24/interna_vidaurbana,628870/apenas-37-das-escolas-do-estado-tem-biblioteca.shtml
Seminário pretende discutir a importância do espaço para a construção de leitores
Apenas 37% das escolas - públicas e privadas - de Pernambuco possuem biblioteca. A estatística, divulgada pelo Censo Escolar 2014, aponta ainda que o cenário não é muito diferente do observado no país, com média de 36%. O dado preocupante levou a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) e a Editora Cobzac a realizar, no próximo dia 10, o Seminário Biblioteca nas Escolas: da leitura na escola para uma vida de leituras.
O evento vai focar em discussões sobre as implicações da ausência dessas instalações na educação e formação das crianças, além de ressaltar a importância desses equipamentos para o desenvolvimento. As três mesas redondas que vão compor o seminário serão realizadas no Teatro Eva Hertz da Livraria Cultura, no Shopping RioMar. Para debater os temas propostos para cada mesa, foram convidadas pessoas ligadas à área da educação de nível nacional e estadual.
Ricardo Leitão, presidente da Cepe, ressalta a importância do evento. “Essa discussão é importante, já que, em muitos lugares, o acesso ao livro é difícil, por não haver uma livraria por perto. Tendo uma biblioteca na escola, auxilia no desenvolvimento da criança”, afirmou. Para a diretora da Editora Cobzac, Deborah Echeverria, é preciso apostar na leitura ainda na fase infantil. “Tendo uma biblioteca na escola, com livros indicados para cada fase, o estudante pode desenvolver um hábito na leitura”, ressaltou.
A base principal da primeira mesa será a Lei 12.244/10, que determina que todas as escolas da rede particular e pública tenham uma biblioteca até o ano de 2020. O debate deve girar em torno dos caminhos possíveis para que a lei seja implementada. Os convidados para a conversa sobre o tema foram o secretário executivo do Plano Nacional do Livro e Leitura, José Castilho; Christine Fontelles, do Instituto EcoFuturo; Fernando Burgos da Fundação Getúlio Vargas (FGV); e o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Lourival Pinto.
Já a segunda mesa, o tema é a forma em que os livros são adquiridos pelo sistema público, uma vez que cada esfera do governo tem uma forma diferente de comprar as obras. Para debater o assunto, foram convidados Daniela Montuani, parecerista do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE); Shirley Malta, da Secretaria de Educação de Pernambuco, Renata Jatobá, da Secretaria de Educação do Recife; Cida Fernandez, do Programa Direito à Leitura, ligado ao Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF). Para mediar, foi convidada a assessora pedagógica do Programa Prazer em Ler, Érica Verçosa.

A última mesa do evento pretende abranger as dificuldades e oportunidades presentes no mercado do livro, incluindo a participação das bibliotecas no processo de acesso aos livros. O assessor técnico da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura (RRNE/MinC), Roberto Azoubel, vai mediar o debate que vai ser entre o professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), José Luiz Goldfarb; o diretor da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Ministério da Cultura (DLLLB/MinC), Volnei Canônica; o escritor Wellington de Melo; e Deborah Echeverria.

Nenhum comentário: