21 de abr de 2016

Library of Congress exclui o termo "estrangeiro ilegal"

Fonte: Brazilian Voice.
Atendendo aos pedidos de estudantes universitários, o órgão decidiu não adotar mais a expressão “illegal aliens”
A Biblioteca do Congresso, alegando que uma expressão comum se tornou ofensiva, anunciou que não utilizará mais “estrangeiros ilegais” (Illegal aliens) como termo bibliográfico. A biblioteca usará agora “não cidadãos” e “imigração não autorizada” quando se referir às pessoas e grupos que vivem de forma irregular nos EUA. O órgão considerou os novos termos mais precisos e menos ofensivos. A palavra “alien” no idioma inglês pode significar estrangeiro ou alienígena.
A mudança foi sugerida por um grupo de alunos do Dartmouth College, que pediram a Biblioteca do Congresso para excluir o termo. A coalisão de estudantes, conhecida como “Dartmouth Coalition for Immigration Reform, Equality and DREAMers (CoFIRED), recebeu o apoio da Associação Americana de Bibliotecas.
Melissa Padilla, estudante no último ano da Universidade de New Hampshire, recorda-se no ano de caloura, quando ela “decidiu explorar sua identidade como imigrante indocumentada”. Enquanto pesquisava o assunto, a jovem percebeu que lia com frequência a expressão “estrangeiros ilegais”, então, contatou a CoFIRED e eles apresentaram o pedido a Biblioteca do Congresso em 2014.
“Eu acho que uma universidade deveria estar livre de frases racistas as quais eu cresci ouvindo”, disse Padilla.
A Biblioteca do Congresso estabeleceu em seu catálogo a expressão “aliens, ilegal” em 1980 e alterou para “illegal aliens” em 1993.
“O termo ‘illegal aliens’ assumiu um tom pejorativo nos últimos anos e, em resposta, algumas instituições determinaram que parariam de usá-lo”, conforme o sumário executivo. “Por exemplo, em abril de 2014 a Associated Press anunciou que ‘ilegal’ não seria utilizado para descrever qualquer indivíduo”.

Vários veículos de comunicação também adotaram a mudança, incluindo o Los Angeles Times, que não utiliza mais “ilegal” para se referir às pessoas, embora ainda use o termo “imigração ilegal”.

Nenhum comentário: