10 de set de 2016

Saraiva revela números do Publique-se, sua plataforma de autopublicação

Autoria: Leonardo Neto.
Fonte: Publishnews. Data: 08/09/2016.
No ar desde 2013, o Publique-se, plataforma de autopublicação da Saraiva, teve um salto no primeiro semestre de 2016. Em comparação a 2015, houve um crescimento de 74% no seu catálogo de obras digitais publicadas. Pulou de 6,5 mil títulos publicados até o fim do primeiro semestre de 2015 para 11,3 mil livros publicados até o fim do primeiro semestre desse ano.
Segundo apuração da varejista, 12 milhões de visitantes acessam o acervo do Publique-se mensalmente.
“Estamos apostando bastante no Publique-se. Temos feito atualizações constantes e reforçamos a divulgação nas lojas físicas o que levou a esse incremento de acesso à plataforma”, comentou Gustavo Mondo, gerente do site e produtos digitais da Saraiva.
Sem relevar números exatos, Gustavo disse ao PublishNews que as vendas digitais têm apresentado crescimento anual de dois dígitos na Saraiva, enquanto que as vendas pela plataforma Publique-se têm crescido três dígitos.
Gustavo revelou ainda que a plataforma conta hoje com 20 mil autores cadastrados. Ele diz ainda que não há um gênero específico que cresça mais do que outro, mas chama a atenção a forte presença de livros técnicos.
Os e-books publicados pelo Publique-se ficam disponíveis em todo o ecossistema da Saraiva: estão à venda no e-commerce da varejista, para leitura no Lev, o e-reader da Saraiva, ou nos apps de leitura digital criados pela empresa.

As informações dadas por Gustavo caem como gotas de chuva no deserto. Há muito pouca – ou quase nenhuma – informações sobre a autopublicação no Brasil. Dados da pesquisa Produção e vendas do setor editorial brasileiro mostram que, ao comparar 2014 com 2015, o faturamento dos livros digitais cresceu 21% e que o número de e-books vendidos subiu 4,2%. No entanto, não estão computados nesses números os dados de autopublicação, que normalmente são guardados a sete chaves, impedindo uma real dimensão da venda de livros digitais no Brasil.

Nenhum comentário: