23 de fev de 2013

Biblioteca Pública Digital será lançada em abril


Iniciativa disponibilizará gratuitamente o acervo digitalizado de dezenas de bibliotecas acadêmicas do país.

A Biblioteca Pública Digital dos EUA (ou Digital Public Library of America, DPLA) será lançada em 18 de abril. O anúncio é do historiador, escritor, jornalista e diretor do complexo de bibliotecas da Universidade de Harvard, Robert Darnton, responsável pela idealização do projeto.

A iniciativa – que não conta com o apoio de quaisquer instituições governamentais – pretende reunir e compartilhar gratuitamente todo o acervo e obras de milhares de bibliotecas e universidades dos Estados Unidos. De acordo com Darnton, o projeto foi elaborado para agir como uma “antítese” ao Google Books, que lucra com os livros repassados pela rede e viola certos direitos autorais.

“Vamos fazer algo diferente, algo para ser aprimorado durante séculos”, afirma o historiador, em entrevista ao correspondente nova-iorquino da Folha. “Não queremos gerar expectativas; não teremos tanto material digitalizado logo de início. Levará bastante tempo, mas espero que cresça mais. Temos uma enorme quantidade de coleções a serem digitalizadas, e elas estão espalhadas em mais de 73 bibliotecas da Harvard. São mais de 18 milhões de volumes”.

Conforme Robert, a diferença entre a DPLA e o Google Books é que o primeiro foca exclusivamente em servir ao público e facilitar o acesso à informação e conhecimento para todas as classes sociais, enquanto o segundo trabalha para lucros próprios.

“Teremos milhares de obras vindas de milhares de bibliotecas de todo o país. Também estamos negociando com grandes editoras e tentando convencê-los a ceder obras ligeiramente recentes, com ao menos cinco anos de idade, para a base da DPLA. Tudo completamente gratuito” revela. A cerimônia de lançamento será gravada e transmitida tem tempo real no site do projeto.


Nota: o texto original foi publicado no jornal Folha de S. Paulo, no URL:

Um comentário:

Anônimo disse...

Os americanos estão atrasados em relação aos europeus. A Europeana já está funcionando por vários anos...