18 de dez de 2015

Ministério da Cultura apresenta programação para 2016

No segundo painel do I Encontro Internacional de Políticas Públicas – Território Leitor, a Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Ministério da Cultura (DLLLB/MinC) apresentou suas ações em curso aos agentes políticos, escritores e gestores de planos de livro e leitura presentes.O diretor da DLLLB, Volnei Canônica, reforçou o anúncio feito pelo ministro da Cultura, Juca Ferreira, na abertura do encontro, de uma grande campanha de mobilização e valorização da leitura, que será realizada em 2016. "Isso é uma tarefa que deve ser coletiva e compartilhada, entre poder público e sociedade civil. Não dá para fazer uma campanha só pela grande mídia. Queremos dar visibilidade a todas as ações que estão sendo feitas, mobilizar a população para a leitura, para frequentar bibliotecas, para reivindicar bibliotecas", destacou.
Outro destaque foi a apresentação do novo mapa de cadastro nacional das bibliotecas do Brasil, que estará no ar no endereço www.bibliotecas.cultura.gov.br. O projeto já tem 6102 bibliotecas públicas e aproximadamente 800 bibliotecas comunitárias pré-cadastradas. De acordo com o coordenador-geral de Monitoramento de Informações Culturais do MinC, Leonardo Germani, cabe agora aos gestores dessas instituições e de outras bibliotecas que queiram constar no cadastro atualizarem e manterem atualizadas suas informações, que poderão ser acessadas por todos."É possível colocar fotos, vídeos, contatos, links para suas redes sociais, a programação e outras informações num layout agradável, o que deixa o cadastro com cara de um site da biblioteca", explicou Germani, enfatizando que o principal objetivo da plataforma é ser um cadastro vivo com informações atualizadas dia a dia por quem cuida do equipamento cultural.
Bibliotecas
Entre as outras ações da DLLLB voltadas às bibliotecas está a retomada da parceria com o Ministério das Comunicações para transformar, até 2016, 261 bibliotecas em pontos de acesso à internet nos municípios. Já o projeto Acessibilidade realiza um trabalho com 10 bibliotecas públicas para qualificar seus acervos, capacitar profissionais e ampliar o uso de tecnologia para atender pessoas com todos os tipos de deficiência, além de socializar esse conhecimento para qualquer instituição que tenha interesse.
Por meio de edital, serão destinados R$ 4,2 milhões para 17 projetos de instalação e modernização de bibliotecas. O projeto Mais Bibliotecas, por sua vez, destina R$ 500 mil para auxiliar 112 municípios sem bibliotecas a superarem esse problema. Ainda estão em desenvolvimento um software livre para gerenciamento de acervos; um banco de dados de boas práticas; a criação de cinco bibliotecas bilíngues em regiões de fronteira; a reabertura da Biblioteca Demonstrativa de Brasília; e os esforços junto ao Ministério da Educação para aumentar número de universidades que oferecem curso de biblioteconomia e revisar a grade curricular.
Parceria com a Fundação Bill & Melinda Gates
A coordenadora geral do Sistema Nacional de Bilbiotecas Públicas, Veridiana Negrini, também detalhou os três projetos que continuarão a ser tocados com a renovação da parceria entre o MinC e a Fundação Bill & Melinda Gates, assinada durante a abertura do encontro. O primeiro é executado pelo Instituto de Políticas Relacionais (IPR) em bibliotecas públicas de Arapiraca (AL), Belém (PA) e São Paulo (SP) e se propõe a aumentar o engajamento delas com a comunidade e o uso de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) pelos seus funcionários para melhor atender as necessidades dos usuários. O segundo trabalha na modernização tecnológica de 50 bibliotecas e é tocado pelo Comitê para a Democratização da Informática (CDI). O terceiro é administrado pela Caravan Studios, ocorre em bibliotecas de Porto Alegre (RS) e Belo Horizonte (MG) e visa desenvolver aplicativos dessas bibliotecas a partir de pesquisas junto aos seus usuários.Incentivo à leitura.
De acordo com o coordenador geral de Leitura da DLLLB, Fernando Braga, uma das prioridades de sua gestão é apoiar as ações desenvolvidas pelos comitês locais do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler) e fomentar a criação de novos. "O objetivo é ter 200 comitês em 2016, 500 em 2017 e 800 em 2018", informou. Braga também anunciou que o resultado do edital Todos por um Brasil de Leitores será divulgado, premiando 28 bibliotecas comunitárias e pontos de leitura e 52 espaços não formais de leitura, destinado R$ 30 mil para cada, um total de R$ 2,4 milhões.
Outras prioridades, segundo Braga, são o apoio a blogs de leitura promovidos por jovens e à produção de histórias em quadrinhos e a realização do Prêmio Viva Leitura.

Fonte: Ministério da Cultura

Nenhum comentário: