5 de jan de 2017

Doria quer Centro Cultural e bibliotecas sob gestão de organizações sociais

Fonte: G1. Data: 5/01/2017.
A gestão Doria anunciou que vai colocar o Centro Cultural São Paulo e o circuito de 52 bibliotecas de capital sob a tutela de organizações sociais (OS). A ideia foi divulgada nesta quinta-feira (5) pelo secretário municipal de Cultura, André Sturm, após coletiva realizada na sede da Prefeitura, no Centro da cidade.
Segundo Sturm, seria “muito difícil” para a Prefeitura fazer a gestão direta dos equipamentos. “Para poder contratar artistas tem que fazer uma série de procedimentos. É muito complexo a Cultura ligada na administração direta. Então, esses são os próximos”, afirmou.
A organização social é uma qualificação concedida pela Prefeitura a uma entidade privada e sem fins lucrativos para que ela possa prestar serviços que, em tese, deveriam ser de responsabilidade do poder público. A escolha das entidades é realizada por meio de um chamamento público com diversos requisitos, como a transparência das contas.
O Theatro Municipal já é administrado por uma organização social e, no ano passado, se viu envolvido em um escândalo de corrupção que teria desviado cerca de R$ 18 milhões dos cofres públicos, conforme apurou a Controladoria Geral do Município (CGM).
O ex-diretor do Theatro, José Luiz Herencia, é réu confesso no processo e citou, em delação premiada ao Ministério Público, o nome de William Nacked, presidente da OS Instituto Brasileiro de Gestão Cultural (IBCG), como um dos envolvidos no superfaturamento dos contratos de artistas. Ainda sob o comando de Haddad, a Prefeitura determinou o afastamento da entidade.
O contrato de gestão atual do Theatro se encerra em julho deste e, de acordo com Sturm, a ideia é que até março a Prefeitura já tenha um novo modelo para abrir concorrência novamente às organizações interessadas em administrá-lo. “Portanto em agosto nós já teremos uma OS fazendo a gestão”, estimou o secretário.
A lista de 52 bibliotecas do município não inclui a Mario de Andrade, na região central. Ainda em relação a elas, Sturm anunciou um programa chamado Bibliotecas Vivas, que vai estender seus horários de funcionamento: “Isso é programa para o primeiro semestre. Vamos deixar as bibliotecas abertas no final de semana, que é quando as pessoas estão em casa, quando as pessoas estão ali por perto”.

Além de abrirem por mais tempo, Sturm promete passar a oferecer atrações diferentes nas bibliotecas da cidade. "Vai ter show de música, teatro, dança, circo, ballet, palestra e vai ter livro. Com a multiplicação dos equipamentos digitais, muita gente nunca viu um livro na vida, se não for na escola. Então, a gente quer levar as pessoas para biblioteca por outros motivos para que, no fim, ela pegue um livro também", concluiu.

Nenhum comentário: