4 de abr de 2012

Duas bibliotecas da Unicamp recebem equipamentos de autoempréstimo de livro

Fonte: Portal Barão Geraldo. Data: 3/04/2012.
URL: www.portalbaraogeraldo.com.br/noticias/gerais/duas-bibliotecas-da-unicamp-barao-geraldo-recebem-equipamentos-de-autoemprestimo-de-livro-0746/
Autora: Isabel Gardenal.
Um novo equipamento permitirá que os usuários da Biblioteca Central Cesar Lates (BC-CL) e da Biblioteca da Área de Engenharia (BAE) façam o autoempréstimo de livros, eliminando a etapa de atendimento no balcão, quando o livro é registrado pelos funcionários. O coordenador-geral da Universidade, professor Edgar De Decca, foi conhecer pessoalmente a nova aquisição na manhã desta segunda-feira (2), no andar térreo da Biblioteca Central. A sistemática já está operando desde o dia 28 de março e, até o dia 30, já tinham sido feitos 845 empréstimos na BC-CL e na BAE, sendo que 36% (efetuados por 300 alunos) já foram realizados nos próprios
De Decca se mostrou satisfeito com o resultado do serviço, cujo processo foi acompanhado de perto por ele. O coordenador-geral foi recebido pelo coordenador da BC-CL Luiz Atílio Vicentin e por funcionários da casa. “A ideia é estender inicialmente essa sistemática a outras bibliotecas em que a demanda no número de atendimentos é mais elevada. As próximas unidades a receberem a máquina serão os Institutos de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), de Física Gleb Wataghin (IFGW), de Estudos da Linguagem (IEL) e de Matemática, Estatística e Computação Científica (Imecc), por serem as unidades que mais acessos registram”, conta Luiz Vicentin. O projeto, dentro da linha do Programa de Atualização Tecnológica, foi aprovado pelo Conselho de Tecnologia de Informação e Comunicação (Contic) da Universidade.
O serviço pretende dar maior autonomia nos empréstimos. “Particularmente a Biblioteca Central tem feito um trabalho magnífico no que diz respeito à melhoria da acessibilidade. As novas máquinas em uso são muito importantes porque permitirão que principalmente o estudante faça o seu empréstimo e obtenha as informações necessárias sem nenhuma intermediação”, comenta De Decca.
Operação
Luiz Vicentin relata que, no caso dos alunos, eles usam o smart card (o cartão universitário), que dá acesso aos seus dados cadastrais. Quando passam o livro desejado, o sistema identifica qual o prazo que eles terão para permanecer com esse material. Tal trabalho é feito pelo software corporativo de gerenciamento da Base Bibliográfica Acervus (Sophia), que controla alguns aspectos como o prazo de entrega, por exemplo. As informações do aluno e do livro são cruzadas. Após a transação, um recibo é emitido pela máquina – bastante semelhante a um terminal de caixa eletrônico – e outro é enviado via e-mail. No caso do usuário querer emprestar o livro por mais alguns dias, se não houver interesse expresso de outra pessoa no sistema, o usuário poderá fazer até cinco renovações, ou seja, o que dará uns 35 dias.
Todo livro possui uma fita de segurança a qual identifica caso ele esteja sendo retirado irregularmente da biblioteca. Normalmente, quando o usuário deixa a biblioteca, um sensor apita, avisando que houve alguma situação imprevista. Luiz Vicentin conta que, com o autoempréstimo, a fita é desmagnetizada automaticamente e que o usuário sai com a situação totalmente regularizada. Anteriormente, o funcionário da biblioteca tinha que desmagnetizar o livro. Hoje o autoempréstimo faz tudo: empresta, desmagnetiza e emite comprovante do que está emprestando.
O equipamento adquirido está integrado ao software Sophia, com quem se comunica, mandando-lhe os dados do usuário e do livro. Se o usuário tiver com o prazo ‘estourado’, ele não conseguirá fazer o autoempréstimo.
Novas demandas desses equipamentos poderão, futuramente, ser atendidas por meio de recursos do Planejamento Estratégico (Planes) da Universidade, recorda De Decca. Daqui a alguns anos, a tendência é que essa iniciativa se estenda a todas as bibliotecas das unidades de ensino e pesquisa da Unicamp, estima.

Nenhum comentário: