16 de abr de 2014

Biblioteca Pública Estadual do Rio de Janeiro é reinaugurada

Fonte: Portal Brasil. Data: 15/04/2014.
URL: www.brasil.gov.br/cultura/2014/04/biblioteca-centenaria-no-rio-de-janeiro-e-reinaugurada
A Biblioteca Parque Estadual (BPE), no centro do Rio de Janeiro, acaba de ser reinaugurada. O local, criado pelo imperador dom Pedro II no ano de 1873, passou por reforma e modernização ao longo dos últimos quatro anos, com um investimento total de R$ 71 milhões.
Localizada em uma área de 15 mil metros quadrados, a biblioteca terá capacidade para abrigar mais de 200 mil livros, se tornando a mais importante do estado, segundo a Secretaria da Cultura do RJ. A estimativa é que atenda a um público de 1,5 milhão de pessoas por ano.
Para o secretário da Economia Criativa do Ministério da Cultura (MinC), Marcos André Carvalho,que participou da reinauguração, a biblioteca será mais uma referência para o estado. "As bibliotecas parque do Rio, que contam com apoio do MinC, se tornaram uma referência internacional de vanguarda de programas de estímulo ao livro e a leitura".
Modernização
A unidade tem dois eixos programáticos: educativo e cultural. Mas ambos têm uma transversalidade com a sustentabilidade, cujo programa foi estabelecido pelo Instituto de Estudos do Trabalho da Sociedade (Iets), que visa a tornar a BPE centro de referência também na área da educação ambiental. Além de ecotelhados, que resfriam o prédio, a BPE tem células fotovoltaicas que permitirão a economia de energia, a reutilização da água pluvial para caixas de descarga, o uso de madeira certificada e a criação das fórmicas do mobiliário com garrafas Pet.
A Secretaria Estadual de Cultura quer que a BPE seja a primeira unidade na América Latina a alcançar a Certificação Leed (Leadership in Energy and Environmental Design) na categoria Gold (Ouro). Essa certificação é dada para edificações cujo projeto garante elevado desempenho dos sistemas prediais e  internos  em termos de ambiente saudável, locais de trabalho produtivos, baixo custo de manutenção e operação e redução dos impactos ambientais, informou a assessoria de imprensa do órgão.
A BPE será administrada pela Organização Social Instituto de Desenvolvimento e Gestão e passará a ser a matriz da rede de bibliotecas que o governo fluminense está implantando no estado. Até agora, a rede inclui as bibliotecas parque de Manguinhos, de Niterói e da Rocinha. Ainda este ano, a meta é inaugurar uma unidade no Complexo do Alemão. Faz parte ainda da programação de novas bibliotecas parque a unidade da Mangueira, já em construção, e as de São Gonçalo e Lins de Vasconcelos.
A Secretaria de Cultura pretende ainda implementar mais duas bibliotecas parque na região metropolitana e uma em cada região do estado. Outras unidades estão em estudo nos municípios de Paracambi, Teresópolis e  Paraty e  na  Cidade de Deus, na zona oeste da capital.
Auditório e teatro
O prédio principal da BPE terá um auditório com capacidade para 90 pessoas, batizado de Darcy Ribeiro, o importante antropólogo brasileiro que foi secretário de cultura do estado na década de 80.

A BPE também terá um teatro com 140 lugares, além de uma biblioteca infantil, salas multiuso para laboratórios, estúdios de som, cafeteria e restaurante, e um bicicletário com 40 vagas. O espaço é sofisticado do ponto de vista tecnológico e conta com internet wifi a uma velocidade 100 megabytes por segundo, além de 200 computadores de uso livre e um milhão de músicas digitalizadas. De acordo com a Secretaria Estadual de Cultura, o governo fluminense poderá oferecer à população cursos e laboratórios de desenvolvimento não só na parte editorial e da escrita, mas também em todo tipo de arte digital em cinema, fotografia e música.

Nenhum comentário: